2 de junho de 2014

CRÍTICA DE MALÉVOLA


                           Malévola



         Não.....não é um filme tão ruim assim. Foi assim que ao sair da sala, percebi que a Disney acertou em cheio em relação a este longa. 

         Angelina Jolie volta as telonas como uma diva, más ao mesmo tempo com um amor forte e as vezes impiedoso. 

      A história gira em torno de Malévola, a fada mais poderosa de uma terra de verdadeira fantasia chamada aqui de Mors. Neste lugar a paz toma conta de tudo. Más até um dia em que a pequena Malévola descobre que um dos humanos  conseguiu adentrar sobre o lugar. Ela conhece o menino e com o tempo eles se tornam "bons amigos",  e com o passar dos anos se tornam "mais que amigos".

    Más aquilo que ela um dia pensara em ser amor , na verdade se tornou uma grande e dolorosa ilusão. Ela é engana e traída. 

    Daqui por diante começamos a ver uma Malévola frágil, porém forte, pois ela busca forças e se supera quando percebe que seu amado só queria se torna rei as custas de sua morte. Sobre o enredo meio sombrio más ao mesmo tempo com um aspecto esperançoso e com certos tons de drama. 

    Uma coisa é muito certa e clara neste filme, que é o de mostra o outro lado de uma vilã que é não era tratado com profundida antes, até porque pertence ao um conto de fadas, "A bela adormecida".

   E a bela adormecida em questão, mostra -se uma linda e estonteante adolescente descobrindo um novo mundo e sendo cuidada por Malévola de certa forma e claro do jeito dela. 

     
         O filme é bom, o 3d também funciona e é um dos melhores da Disney, o longa é impactante  no sentido de revelar que aonde muitos acreditam que o amor não existi, é na verdade onde ele pode se revelar. 
 Angelina Jolie está em uma de suas melhores performances, o que é excelente e necessário para um filme que trata de um conto de fadas, nada melhor que uma boa atriz e um bom roteiro para fazer o que pode ser um longa fácil e chato, em um filme para se assistir mais de uma vez. 

   Avaliação deste filme: 9,5
Share:

0 Comente::

Postar um comentário

Cinema de Primeira

Labels

Arquivo Cinema de Primeira